segunda-feira, 24 de julho de 2017

QUAL CUSTA MAIS: PRESIDENTE OU IMPERADOR?

A Revista Calibre fez um levantamento para comparar o custo da presidência da república do Brasil com o custo das coroas de Reino Unido (Inglaterra, Austrália, Canadá, Jamaica, etc), Suécia e Dinamarca. O resultado foi obviamente a favor da monarquia.

Diferente do que prega a doutrina republicana, a monarquia não se resume em sustentar uma família. No Brasil, a exemplo de monarquias modernas, apenas o imperador recebia um salário, que nunca foi corrigido ao longo dos 49 anos de reinado. Cabe ressaltar que vem da família imperial o sucessor da Coroa, portanto é razoável e compreensível entender que o imperador exerce a função de chefe de estado e, portanto, dessa família poderá vir alguém que representará a totalidade do estado brasileiro. 

Na república presidencialista atual, o presidente e sua família são usufrutuários de toda a estrutura do estado. Isso é normal, faz parte das características da política de estado. O problema é que todos os ex-presidentes e suas famílias também recebem as benesses estatais, como salário, veículo, seguranças, assessores, etc. Atualmente há cinco ex-presidentes vivos, ou seja,sustentamos cinco famílias com recursos do estado. Prova de que a república não funciona é que tanto o atual presidente quanto os cinco ex-presidentes estão na mira da operação Lava Jato (http://www.implicante.org/blog/retrato-do-brasil-todos-os-ex-presidentes-vivos-e-tambem-o-atual-sao-citados-na-lava-jato/). 

Tudo isso custa muito caro ao Brasil.



Google Católico